Vai ano vem ano,  e as pessoas sempre com o mesmo ‘chororô’! Não consegue cumprir seus planos! E assim o tempo vai passando e nada de realizações e sim frustrações!

Mas por que diabos isso acontece?! O que ocorre?!

São vários os fatores! Vamos lá:

Autosabotagem

Metas desestruturadas

Procrastinação

Falta de priorização

Falta de foco

Somente para citar alguns!

Vamos começar com a  ‘autosabotagem’:

Sabe quando temos um objetivo a cumprir  e tomamos uma atitude guiada por uma sentimento fugaz para obter uma satisfação imediata e paliativa?! Exemplo:  Estou com uma meta para emagrecer, e por impulsividade, como algo que destoa da alimentação prescrita pelo nutricionista. Daí logo em seguida, bate aquele arrependimento, afastando cada vez mais a pessoa na conclusão da sua meta.

Metas desestruturadas: 

O que a maioria das pessoas tem não são metas, e sim desejos, vou explicar!

Desejo é um estado de expectativa de possuir ou alcançar algo, ou seja, nada mais é do que uma simples vontade! Exemplo: pegando a situação acima do emagrecimento. “Eu quero emagrecer “! Ora, podemos considerar emagrecer desde a perda de um grama, até a perda de dez quilos certo?! Faltou especificar!

Da mesma maneira quando se atrela o cumprimento da meta a um prazo irreal, ou seja, quero perder dez quilos em uma semana! As chances da pessoa se frustrar diante desta meta é praticamente certa. Agora, se pondero a perda de dez quilos dentro de um prazo de pelo menos três meses, aí sim fica mais suscetível de acontecer. Claro que cada caso é um caso, não vamos aqui entrar nesse mérito! Finalizando, é necessário que a pessoa entenda a razão pela qual ela está buscando a realização da meta, qual a motivação por trás?! Tem a ver com vaidade? Saúde? É preciso ficar claro na cabeça do indivíduo o valor da meta! E finalmente o prazo de conclusão, especificar a linha de chegada, a data final! Quando botamos um prazo final, nosso cérebro entende como de elevada importância o seu cumprimento! Exemplo, o Brasil só fez a copa do mundo ou vai realizar a olimpíada, por que existe um prazo de entrega, caso contrário, tendemos a nos acomodar, bem como a procrastinar, ‘capisce’?!

Falando em ‘procrastinação’ vamos primeiro entender o seu significado:

A palavra procrastinação significa adiamento de uma ação. A grosso modo poderíamos dizer que seria aquela mania de deixar tudo para depois. Adiamos o máximo possível algo que poderíamos ter começado antes.

Citarei um exemplo bem comum para ilustrar a procrastinação: Um universitário tem que entregar um trabalho daqui um mês, mas ele acaba deixando de lado isso, até que falta apenas um dia para entrega do trabalho. O universitário então tem que dar conta de fazer o trabalho em um dia, sendo que poderia ter feito com mais tranquilidade nos 30 dias que se passaram.

É interessante analisarmos que a procrastinação só prevalece no dever. Não procrastinamos coisas que gostamos ou sentimos prazer.

Para acabar com a procrastinação listo quatro dicas:

Conheça sua personalidade – analise seu modo de agir e ser determinado, em quais momentos você realiza suas atividades com prazer.

Algumas pessoas são mais noturnas, enquanto outras são mais diurnas. Com isso, ao conhecer o seu próprio ritmo você consegue aproveitar qual período é melhor para você trabalhar, estudar, descansar ou se divertir.

Enumere suas tarefas – 

Priorize quais são as mais importantes e urgentes, pois se pensar muito irá procrastinar e deixará para amanhã.

Defina prazos de suas atividades –

Depois de ter feito sua lista coloque o prazo máximo para realização.

Faça imediatamente – não pense muito para realizar alguma tarefa da lista, faça imediatamente. Pois se pensar muito, irá procrastinar. Outro erro comum é ficar planejando, criando mil listas para fazer (to-do lists) ou permanecer na argumentação e na contra-argumentação: “não fiz isso, não fiz aquilo. Se eu fizer isso agora, vou deixar aquilo para depois. Mas eu tenho que fazer isso também. Então, se eu fizer aquilo outro primeiro, vai dar tempo e conseguirei….”

Falta de Priorização – a questão aqui, é que naturalmente temos a tendência de querer muito, e realizar pouco. O pulo do gato é em primeiro lugar criar consciência de que é impossível abraçar o mundo! Em segundo lugar é necessário ranquear com critério aquilo que é mais importante no momento para a sua vida, ou seja, racionalizar mais aquilo que se quer cumprir! Exemplo básico; se quero comprar duas peças de roupa, porém só tenho fôlego financeiro para adquirir uma, opto por aquela que ainda não tenho ou que de alguma forma faça mais sentido para mim naquele momento.

Falta de foco – vivemos na era da informação. Nunca na história se produziu tanta informação, e estímulos, como tem acontecido nas últimas décadas! O lado ruim disso, é que cada vez fica mais difícil ter FOCO! Já dizia Steve Jobs – “foco é saber dizer não”!

A falta de foco gera frustração e consequentemente stress, pois não terminar algo em que nos propomos a realizar, acaba que prejudicando a nossa vida e das pessoas a nossa volta! Para tanto, é necessário resgatar a questão do que é prioridade naquele momento, e qual o grau de importância de determinada tarefa ou meta! (ler as dicas já acima comentadas).

Rumo-da-carreira