Às vezes atingimos aquele ponto decisivo em nossa vida profissional, quando sentimos que precisamos de uma orientação para seguir em frente. Aí pensamos: “que tal um programa de coaching”?

“Gestor ou especialista? Pós-graduação ou MBA? Batalhar pela promoção ou começar o próprio negócio?”

Nesses momentos de dúvidas e escolhas difíceis, uma ajudinha é bem-vinda. E até se você não sentiu esse momento chegar, mas gostaria de dar uma guinada na carreira, talvez deva considerar participar de um programa de coaching. Mas esse negócio de coaching funciona mesmo? Se você tem essa dúvida, continue lendo este post.

Vale ressaltar que o coaching não é um simples aconselhamento. Afinal, alguém para dar conselhos é o que não falta, não é? Mas esse tipo de programa existe para auxiliar o indivíduo a se posicionar – tomar atitudes que direcionem sua vida (coaching pessoal) e sua carreira (coaching empresarial) de forma que consiga atingir suas metas, alcançando a realização pessoal.

O coach não é um terapeuta, mas sim um profissional qualificado e certificado por uma instituição autorizada, como a Academia Brasileira de Coaching. Sua função é ajudar o indivíduo a ir além, após identificar os pontos que necessitam de desenvolvimento e as barreiras que devem ser transpostas. Esse profissional propõe um plano de ação, de acordo com os objetivos e expectativas individuais e fornece as ferramentas para que a pessoa trilhe o caminho que a levará até o topo.

Essa trajetória é acompanhada de perto pelo coach,  que deverá encorajar e alinhar a rota quando necessário. Também cabe a ele coletar informações que demonstram o desenvolvimento pessoal e profissional e dar feedbacks ao fim do processo.

Ao participar de um programa de coaching, você estará dando o primeiro passo para se tornar a pessoa que deseja ser no futuro! Acho que vale a pena tentar, não?